Pular para o conteúdo principal

Sacola plástica pode salvar bebês em partos complicados


 
Sacola plástica pode salvar bebês em partos complicados 

Equipamento será produzido em série e ganhou um aval por parte da OMS

A-G
Ajuda. Mecânico argentino Jorge Odón cria peças para carros, mas o invento para partos é novidade
PUBLICADO EM 26/11/13 - 04h00
DONALD G. MCNEIL JR
THE NEW YORK TIMES

NOVA YORK, EUA. A ideia surgiu para o mecânico argentino Jorge Odón, 59, enquanto ele dormia. De alguma forma, diz ele, seu inconsciente fez a ligação entre um vídeo do YouTube a que ele havia acabado de assistir sobre como tirar uma rolha estragada de uma garrafa de vinho e a conclusão de que o mesmo truque mágico poderia salvar um bebê preso no canal vaginal.


Odón construiu o primeiro protótipo na própria cozinha, usando uma jarra de vidro como útero, uma boneca da filha como o bebê preso e um saco de pano com uma manga costurada pela esposa como o aparelho que salva vidas.

Por mais improvável que pareça, a ideia que tomou forma na cozinha ganhou aval da Organização Mundial de Saúde (OMS) e de grandes doadores, e uma empresa norte-americana de tecnologia médica acaba de ser licenciada para a produção.

Com o aparelho de Odón, o assistente desliza uma bolsa plástica por dentro de uma manga plástica lubrificada ao redor da cabeça, infla a bolsa de forma que envolva a cabeça e a puxa até que o bebê saia junto.

Os médicos dizem que a ideia tem um potencial enorme para salvar bebês nos países mais pobres e, talvez, reduzir a quantidade de cesarianas nos países mais ricos. "Isso é muito empolgante", exclama Mario Merialdi, chefe-coordenador do setor da OMS responsável por melhorias na saúde materna e perinatal e defensor do aparelho de Odón. "O momento crítico da vida é aquele em que houve pouco avanço durante muito tempo", afirma o médico.

Embora haja mais planos de testes do aparelho de Odón, os médicos dizem que ele parece seguro para parteiras, mesmo com pouco treinamento de uso. Pelo caminho, ele ganhou verbas para pesquisa da Agência de Desenvolvimento Internacional dos Estados Unidos e da Grand Challenges Canada.

"Distribuímos US$ 32 milhões entre 61 inovações diferentes, e essa é a mais interessante", garante Peter A. Singer, executivo-chefe da Grand Challenges Canada.

FABRICAÇÃO. O aparelho será manufaturado pela Becton, Dickinson and Co., ou BD, de Franklin Lakes, Nova Jersey, que é mais conhecida por fabricar seringas. "Minha primeira reação, assim que eu vi, foi positiva", conta Gary M. Cohen, vice-presidente executivo de saúde mundial da companhia. Foi no último Fórum Econômico Mundial em Davos, Suíça, que Merialdi lhe pediu que considerasse fabricar o aparelho.

"Muitos inventores chegam ao estágio do protótipo, mas isso, talvez, seja 15% do que precisa ser feito", disse Cohen. "Há a finalização do design para a manufatura, controle de qualidade, trabalho regulamentado e estudos clínicos. Sem isso, eles não veem a luz do dia", explica o executivo. Até agora, a segurança do aparelho foi testada em apenas 30 argentinas.

A OMS vai inspecionar testes em mais cem mulheres em trabalho de parto normal na China, Índia e África do Sul, e depois em 170 mulheres com parto obstruído.


Custo

Valor. Estimativa inicial da empresa que produzirá o aparelho indica que o custo unitário será inferior a US$ 50. Um valor menor será cobrado de governos de países mais pobres.

Veja vídeo da rolha, que inspirou a invenção



http://www.youtube.com/embed/uL1ovAYtKuQ

Postagens mais visitadas deste blog

Brinquedos pedagógicos reciclados para maternal e berçário

Link direto:
http://www.pragentemiuda.org/2015/07/brinquedos-pedagogicos-reciclados-para-bercario.html
Brinquedos pedagógicos reciclados para berçárioVou postar mais algumas dicas para trabalhar com reciclagem de materiais, esta para os professores de maternal e berçário. Esta dica é para fazer seus próprios brinquedos pedagógicos, usando material que você tem em casa. A sugestão aqui proposta tem o objetivo de fortalecer mãos e pulsos, explorar os níveis de habilidades motoras finas e grossas, a concentração, curiosidade de causa e efeito, entre outros benefícios. Dica daqui.
Eu amei esta dica acima, feita com latinha de leite e palitos de picolé pintados. Pra fazer basta encapara a latinha com papel. Depois corte fendas na tampa, para encaixar os palitos. Pinte os palitos com tintas coloridas. A ideia do brinquedo é que o bebê retire e empurre as fitas observando suas habilidades.
Vamos ver outras sugestões? Todas usando latinhas de leite em ninho, toddy, nesca…

"MONÓLOGO DAS MÃOS" ..... Giuseppe Ghiaroni

"Feliz aquele que transfere o que sabe, e aprende o que ensina."
de Cora Coralina

"MONÓLOGO DAS MÃOS" 

Giuseppe Ghiaroni 

Para que servem as mãos? 
 As mãos servem para pedir, prometer, chamar, conceder, ameaçar, suplicar, exigir, acariciar, recusar, interrogar, admirar, confessar, calcular, comandar, injuriar, incitar, teimar, encorajar, acusar, condenar, absolver, perdoar, desprezar, desafiar, aplaudir, reger, benzer, humilhar, reconciliar, exaltar, construir, trabalhar, escrever...... 

As mãos de Maria Antonieta, ao receber o beijo de Mirabeau, salvou o trono da França e apagou a auréola do famoso revolucionário; Múcio Cévola queimou a mão que, por engano não matou Porcena; foi com as mãos que Jesus amparou Madalena; com as mãos David agitou a funda que matou Golias; as mãos dos Césares romanos decidiam a sorte dos gladiadores vencidos na arena; Pilatos lavou as mãos para limpar a consciência; os anti-semitas marcavam a porta dos jude…

Cities After World War III

Apocalypse now: Russian artist transforms real-life photographs to show how cities might look after the end of the world 

By Suzzanah Hills
Last updated at 11:29 PM on 5th March 2012
You could be forgiven for thinking that these incredible images are simply scene grabs from a computer game or film depicting some imaginary and non-existent world.
But these pictures are actually photographs of modern-day cities around the globe that have been manipulated by Russian artist Vladimir Manyuhin.
Manyuhin starts with original snapshots and then adds digital decay and overgrowth to depict what well-known places on earth would look like after an apocalypse. This image from Russian artist Vladimir Manyuhin's Life after the Apocalypse is reminiscent of scenes from the 2007 film I am Legend By night: The same scene of a deserted city - minus some lions - with the sun slowly setting in the background Underground: Manyuhin has transformed a picture of a tube line in to a scene of destructio…